Temer conseguiu votos suficientes para impedir que fosse investigado por corrupção pelo STF e afastado por 180 dias. Mas afinal o que revela esse processo que levou a escapatória de Temer de ser julgado? Inicialmente, nada mais do que a consolidação do crime organizado no comando do país, sob comando do PMDB/PSDB/DEM, com desvio dos recursos públicos, seja por emendas ou perdão de dívidas para arregimentar votos, enfraquecimento da Petrobrás e corrupção pura via malas de dinheiro.

Mas a consolidação do crime organizado, com o apoio dos banqueiros e das petroleiras americanas e europeias, apenas está aumentando a gula crescente por mais dinheiro e privilégios a serem pagos pelo erário público e pelos corruptores que agem dentro da máquina do estado. Nesse cenário ninguém pode se considerar vitorioso, muito menos Temer, sua quadrilha e quem foi conivente com esse esquema como as classes média que se deixaram manipular e foi para as ruas apenas para tirar o PT do poder. O País foi mergulhado no caos em que ninguém está sendo poupado. Políticos corrompidos serão cassados nas urnas ou nas ruas. Mas, os aposentados estão perdendo aposentadoria, funcionários públicos recebendo salários em atraso e sendo demitidos, polícias sucateadas, fim dos investimentos em áreas estratégicas e fim dos direitos trabalhistas, e logo mais previdenciários, desemprego e recessão.

Quem irá investir num país que está perdendo seu mercado interno de consumo, suas riquezas e potencialidades, e cujos agentes do estado, desde o executivo, legislativo e judiciário, exigem propinas milionárias como praxe? Pois esse é o único projeto que o conluio que está no poder hoje conhece, que é o de transformar o Estado em enorme balcão de negócio em que tudo se resume a comprar e a vender, seja apoio, lei, judiciário, polícia, promotores, empresas públicas ou direitas sociais.

Quem é considerado inimigo deste projeto é perseguido e massacrado na mídia, na Justiça e no Congresso Nacional, como foi o caso do impeachment da presidente Dilma e da caça, por Moro, do ex-presidente Lula.

Além da corrupção, os brasileiros já estão pagando o preço pela implantação da PEC 55 que sepultou os investimentos em Educação, Saúde e Infraestrutura. As universidades públicas estão sendo fechadas, assim como hospitais e unidades de saúde, com demissão de médicos e enfermeiras. Nesse processo, todas as atividades voltadas para o atendimento à população mais carente e até a classe média serão praticamente paralisadas em pouco tempo, basta ver o que acontece no RJ e em SP.

Mas as oportunidades para reagir estão dadas. As esquerdas e as forças progressistas e de centro, dos movimentos sociais, dos coletivos populares, pequenos e médios empresários e comerciantes, têm uma grande chance de realizar a união em torno de propostas e mobilizações para que o país volte a ser novamente uma esperança de melhoria de vida para os brasileiros.

Não podemos nos esmorecer diante das práticas criminosas. Esse País tem uma história de resistência e luta que resultaram em vitórias importantes para maioria dos brasileiros. Combater nas ruas, nas redes sociais e nos espaços institucionais e públicos as forças do fascismo e da corrupção exige esforço e muito trabalho. Mas é a única alternativa para revertermos esse quadro. Lutar pelas diretas, já agora para todos os níveis e propor saídas para a retomada do desenvolvimento, combate à corrupção e reforma política serão cada vez mais fundamentais. Vamos à luta, agora mais do que nunca!

A Intrincada Blindagem dos governos tucanos no Judiciário Paulista
Será que vão prender o povo?
Compartilhe

Receba  Informativo

Você assinou nosso boletim com sucesso e em breve receberá correspondência !