Texto de Francisco Rocha / Retirado do blog http://mandacaru13.blogspot.com.br/

Em seus 32 anos que englobam criação, ampliação e consolidação do PT, a militância continua sendo elemento fundamental para o partido, hoje, deter a esmagadora preferência da população, bem como enfrentar seus desafios.

Militância que se organiza e atua no PT, nas associações de bairro, de categorias profissionais, nos sindicatos, nas ONG´s, nos movimentos de luta por moradia, de defesa do meio ambiente e da cultura, pela diversidade sexual, contra o preconceito racial, pela igualdade de gênero, nos movimentos de trabalhadores rurais e dos sem terra, dentre outros. Militância que participa de governos municipais, estaduais e federal do PT e de partidos aliados. Essa integração entre luta social, política e institucional, realizada pela militância, enraíza o PT, política e ideologicamente na sociedade brasileira como partido de esquerda e democrático.

É contra esse progressivo e intenso enraizamento do Partido dos Trabalhadores que a direita, organizada no conglomerado formado pelo PSDB/DEM/PPS e a velha mídia, se mobiliza de todas as formas ilícitas com o intuito de barrá-lo. Em outras palavras, tenta impedir que as maiorias sociais se transformem em maiorias políticas ativas e referenciadas no PT e, assim, contribuam com o aprofundamento, ainda maior, das mudanças que vêm sendo feitas no país, desde 2003, quando Lula assumiu a presidência da república e continuadas pela presidenta Dilma, a partir de 2011. Os resultados alcançados pelos governos Lula e Dilma contrariam os interesses desse conglomerado sem projeto e sem povo.

Outra característica da militância petista é sua capacidade de mobilização para definir campanhas eleitorais na “reta de chegada”. Em especial, a juventude petista filiada e simpatizante do partido que se envolve ativamente nas campanhas majoritárias e proporcionais. Envolvimento que se manifesta publicamente nas atividades de massa tais como caminhadas, carreatas e comícios tomados pela cor vermelha de nossas bandeiras conduzidas pela nossa militância, pela nossa juventude.

As ondas vermelhas do PT estão espalhadas pelas campanhas eleitorais de 2012 por todo o país, das pequenas cidades às metrópoles, das campanhas do PT às campanhas com partidos aliados demonstrando a força política e social do partido. Enfatizo que sem nossa militância, tais ondas não existiriam.

Há 19 dias da votação do primeiro turno das eleições municipais, as movimentações das campanhas dos candidatos do PT a prefeito são positivas e indicam que as metas definidas pelo partido serão alcançadas. Diante de tal situação, reitero que todo cuidado é pouco, pois a velha mídia em complô com a direita trabalha, dia e noite, para montar tramas e desenvolver enredos com notícias meramente fantasiosas e recheadas de calúnias. Vide o apelidado mensalão que a justiça chama de Ação 470 e eu chamo de tentativa de golpe político com o intuito de nos derrotar no resultado do processo eleitoral.

Sei que a militância está mobilizada, mas precisa se mobilizar ainda mais e aumentar a posição de alerta na batalha eleitoral. Quem enfrentou e derrubou uma ditadura, possui todas as credenciais da luta política e social para enfrentar as maquinações dos adversários, para vencer as eleições e fazer o país avançar na luta por melhores condições de vida e trabalho para o nosso povo.

Se o caminho se faz ao caminhar, companheiras e companheiros, vamos andar de praça em praça, de rua em rua, de casa em casa apresentando nossos candidatos, os quais possuem ideias inovadoras e dispõem dos melhores apoios para implantá-las em nossas cidades, em nossos municípios.

LUTAR E RESISTIR É PRECISO.

Modo petista de governar é referência para a ONU
Nota à sociedade brasileira
Compartilhe

Receba  Informativo

Você assinou nosso boletim com sucesso e em breve receberá correspondência !