FORÇAS PROGRESSISTAS PRECISAM FICAR ATENTAS E MOBILIZADAS

Na última quarta-feira por ocasião das manifestações de professores e estudantes em mais de 200 cidades com mais de 1 milhão nas ruas e ontem, por ocasião das denúncias da existência de uma quadrilha organizado para a corrupção e lavagem de dinheiro liderada por seu filho, o senador Flávio, o presidente fantoche Bolsonaro, desde os EUA onde foi para dar mais vexames, deu declarações típicas de quem está na defensiva: chamou os estudantes de “imbecis e idiotas” e desafio os investigadores do Ministério Público a irem “pra cima dele que não encontrarão nada”.

No caso desse fascista, os arroubos de valentia são o prenúncio do fim do seu governo. Até nas redes sociais o monstro vem perdendo efetividade e após o 15M a coisa ficou pior ainda para ele. Talvez, só o Guedes possa salvar o barco. Mas o deus Mercado dá sinais de que o tempo está se esgotando. As investigações e a quebra de sigilo do filho senador ligado às milícias e do Queiroz seu assessor e os vazamentos para a imprensa sobre os detalhes do processo, indicam que a blindagem que permitiu a de ganhar as eleições está indo para o buraco.

O grande problema para nós das forças democráticas e progressistas e para o povo em geral é que, na eventualidade de uma renúncia ou impeachment, ter que aguentar os milicos que estão com Bolsonaro e dão sustentação ao seu governo. Os generais são defensores do entreguismo dos recursos nacionais estratégicos e do fim dos direitos sociais dos trabalhadores e pessoas pobres.

Mas, não é hora de ilusão, empolgação e nem de baixar a guarda: a engrenagem que elegeu Bolsonaro e os parlamentares de extrema- direita funciona ainda, basta ver as ações do Ministério Público e do sistema de justiça fascista que, ao sair uma notícia bombástica contra algum membro do time dos golpistas que eles produzem algum fato em seguida para desviar a atenção ou “atenuar” aquela. Foi assim com Lula e hoje com a decretação de nova prisão de Zé Dirceu.

Muita água ainda vai rolar debaixo dessa ponte. Nem Bolsonaro está morto ainda e nem os golpistas (Mercado financeiro, mídia grande, militares, políticos que lhe dão sustentação etc) decidiram o que fazer.

As forças democráticas e progressistas (partidos de esquerda, movimentos sociais, entidades e personalidades progressistas da sociedade civil, etc) não podem recuar após o 15M. Se o fizerem, o fascismo vai comer solto. A História está aí para comprovar. Precisamos manter o foco na nova mobilização dos professores e estudantes no próximo dia 30, o grande Festival Lula Livre no dia 02/06 em São Paulo e a Greve Geral contra o desmonte do sistema da previdência social dia 14/06.

E vamos trabalhar com um horizonte de novas eleições gerais, com Lula Livre, para colocar nosso País nos trilhos da democracia e do desenvolvimento sustentável com inclusão social e soberania!

#15M: Dia nacional em defesa da educação
STF aprova criminalização da homofobia. Decano critica ‘superlativa intolerância’ de deputados
RSS
Follow by Email
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram