O seminário “Material Didático Digital“, que aconteceu nesta quinta-feira (09), trouxe a discussão dobre Recursos Educacionais Abertos (REA) para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Com apoio do deputado Simão Pedro, presidente da Comissão Parlamentar de Educação e Cultura, e promovido pelo Projeto REA Brasil, o evento contou com a presença de acadêmicos, representantes do: REA, Ministério da Educação, secretaria estadual de Educação, Universidade Federal da Bahia, parlamentares e ainda convidados internacionais como o diretor de elearning e educação aberta do estado de Washington, nos Estados Unidos e Hal Plotikin, do Ministério da Educação dos Estados Unidos.

Segundo Simão Pedro, que coordenou o seminário, a sociedade da internet exige que adaptemos nossas instituições a ela e a produção de conhecimento é intensa e veloz, e deve ser compartilhada. Para ele, é incoerente que o governo invista recursos na compra de livros e não possa disponibilizá-los na internet. “A partir deste seminário, pretendemos colocar essas ideias em discussão na Assembleia. Por isso estamos lançando um projeto determinando que o governo do Estado, nos seus protocolos de compra de material didático, estabeleça que essa matéria esteja à disposição para todo o público”, adiantou o parlamentar. Para ele, essa iniciativa, além de maximizar recursos orçamentários, vai introduzir o compartilhamento na rede de educação e permitir a interação entre os conteúdos organizados pelos professores.

Um dos objetivos do seminário, segundo Bianca Antunes, integrante do REA Brasil, é engajar mais pessoas no acesso aberto, “porque não adianta ter uma lei aprovada se essa prática não estiver arraigada”.

Durante todo o dia, quatro mesas de debates aconteceram com assuntos voltados ao tema central.

Algumas experiências

Vera Solferini, da Universidade Estadual de Campinas, falou sobre as experiências da Unicamp com recursos educacionais abertos, como o Portal DCW, que coloca produção didática dos docentes sob licença Creative Commons, e o projeto Aulas Web, a ser lançado, de criação de material multimídia.

O professor Nelson Pretto, da Universidade Federal da Bahia, abordou a importância dos REA para que a escola exerça o seu papel como espaço de cultura e criação. John Wilbanks, vice-presidente da Creative Commons, falou sobre os objetivos da organização, que disponibiliza licenças flexíveis para obras intelectuais. As obras registradas na Creative Commons podem ir do grau máximo de disponibilidade, o domínio público, até o grau mais restritivo, que permite apenas a cópia e distribuição da obra.

Simão Pedro é fiel defensor do uso do Software/Internet Livre e sem restrições.

Servidores da saúde ameaçam paralisação por aumento salarial
Simão Pedro se reúne com Fórum da Diversidade Étnico-Racial
RSS
Follow by Email
Facebook
Facebook
YouTube
YouTube
Instagram