Presidência da Comissão de Implantação da USP Leste

Do Site da Alesp em 20/04/2004

O projeto de construção da nova unidade da USP na zona Leste da Capital começa a se tornar uma realidade. No sábado, 17/4, foi inaugurado o Núcleo de Apoio Social, Cultural e Educacional (NASCE), em Ermelino Matarazzo, a 2 km do local onde está sendo erigido o novo campus da universidade.

A notícia foi dada à Comissão Externa para Acompanhamento da Implantação da USP Zona Leste, presidida pelo deputado Simão Pedro (PT), durante reunião ocorrida na manhã desta terça-feira, 20/4.

A informação veio ao encontro da expectativa da comissão, uma vez que o modelo que a comunidade deseja para a USP Leste abarca a participação popular. “Queremos um novo modelo de participação e integração da comunidade com a universidade”, ressaltou, Simão Pedro, acrescentando que a implantação do novo campus é uma luta de muitos anos das lideranças comunitárias e dos parlamentares da zona Leste.

O objetivo do NASCE é a promoção de ações culturais e atividades de extensão para apoiar o desenvolvimento econômico e social da região. Uma destas atividades terá início em julho e visa preparar 5.000 alunos do terceiro ano do ensino médio para o vestibular. “É uma política afirmativa para atacar a exclusão dos estudantes de baixa renda ao acesso à universidade pública”, explicou o prefeito do campus da Capital, Wanderley Messias da Costa.

Cursos

O novo campus deve começar a funcionar em fevereiro de 2005, recebendo 1.020 alunos, espalhados pelos períodos da manhã e tarde – 600 – e à noite – 400. As vagas deverão ser abertas para os cursos de Arte Têxtil e Indumentária; Ciências da Atividade Física; Licenciatura em Ciências da Natureza; Gerontologia; Gestão Ambiental; Gestor de Políticas Públicas; Lazer e Turismo; Marketing; Obstetrícia; e Sistemas de Informação.

“Nossa proposta é formar profissionais com alta consciência de sua responsabilidade social, especialmente sobre os problemas que afetam a região em que a nova unidade está inserida”, frisou a professora Myriam Krasilchik, presidente da Comissão Central/USP Leste.

O foco dos novos cursos deve girar em torno de projetos que envolvam a resolução de problemas. “Adotaremos como princípio o papel ativo dos estudantes na construção do conhecimento”, explicou Myriam.

Recursos

Umas das preocupações da deputada Ana Martins (PCdoB), integrante da comissão, é quanto aos recursos e à participação popular na gestão da nova unidade. “Precisamos garantir que as lideranças comunitárias tenham algum nível de participação na gestão da USP Leste”, conclamou a parlamentar, aplaudindo a participação efetiva da comissão de professores encarregados de preparar o novo projeto.

“Os recursos financeiros para a implantação do novo campus são satisfatórios”, garantiu o professor Celso de Barros Gomes, coordenador geral do Projeto USP Leste. E acrescentou: “Para 2005, precisaremos de recursos adicionais, com vistas à instalação e custeios, inclusive recursos humanos”.